4.4.12

Brigadeiro de Páscoa

Quando criança, a tradição familiar era comer paçoca na Páscoa. Na Alemanha, comíamos Osterzopf (tradução livre – rosca alemã de Páscoa). É um pãozinho delícia com ricota e uvas passas. Os mais criativos colocam ovos no meio. A comida equatoriana tradicional é a Fanesca, uma sopa feita com 12 grãos diferentes. Tomo porque é costume, pois confesso que acho pesada. 

E como eu adoro uma tradição, decidi criar uma para minha Páscoa de expatriada.  Quero que a menina lembre-se de mim como uma pessoa que apresentava brigadeiro para os amigos estrangeiros. É impressionante como é um sucesso. Fico encantada com a carinha feliz de quem come.


Todo mundo sabe fazer brigadeiro. As receitas são variações sobre o mesmo tema. Eu uso uma lata de leite condensado, 1 colher (sopa) de manteiga sem sal e 3 colheres (sopa) de chocolate em pó sem açúcar. Faço no fogo bem baixo e mexo sempre. Retiro do fogo quando o brigadeiro começa a soltar do fundo da panela. Passo para um prato. Espero esfriar e enrolo. Na hora de enrolar, molho minha mão com água. Não gosto de usar manteiga, para não mudar o sabor do brigadeiro.




No meio da minha aventura brigadelesca, uma das receitas ficou mole demais. Fui salva pelo São Google e achei a dica em um fórum do Yahoo. Infelizmente, não guardei o link.  Caso aconteça com você, não chore. Tem jeito. É só voltar o brigadeiro para o fogo baixo e acrescentar uma colher (chá) de farinha de trigo e duas colheres (chá) de água. Juro que não muda o sabor.

Os desenhos fofos de Páscoa eu encontrei no Moo.com.au.


2 comentários:

FELTRO POR MIM disse...

Que idéia fofa de colocar os brigadeiros nesta embalagem, gostei muito! Com certeza vou copiar!

Regina Melo-Jocknevich disse...

Menina, estou descobrindo q você é uma fanática, como eu, por brigadeiros. Que delícia!!!