16.2.12

O caderno de receitas da minha mãe

O meu maior tesouro é o caderno de receitas da minha mãe.Toda vez que minha casa cruza o Atlântico, eu carrego o caderno na minha mala de mão. Vai que a mudança se perca no caminho. Roupas, livros, Cds, móveis, tudo é possivel comprar de novo. A minha história, não

Minha mãe era uma ótima cozinheira. Daquelas que fazia desde uma comida simples e deliciosa, com o que tinha na geladeira, até o tradicional bolo de aniversário da família. Ela me ensinou que comida conforta, que é afeto, que é expressão de criatividade.

O caderno de receitas da minha mãe chegou às minhas mãos, pelo correio, na época em que eu era uma jungle girl e tinha acabado de me mudar para Rondônia. Fui com a cara, com a coragem e com um certo friozinho na barriga. Tinha vinte e poucos anos e era a primeira vez que eu ia morar longe da família. Minha mãe estava escrevendo um novo caderno e decidiu me presentear com o antigo.

O caderno contém receitas escritas por minha mãe, por minha irmã e por mim, em diversas fases da nossa vida. Adoro reconhecer nossas letras. Percorrer o caderno, é relembrar minha infância e adolescência. Como novidade, ela decidiu incluir comentários ao lado das receitas (isso é fácil, você gostava muito, é trabalhoso e por aí vai). Nas últimas páginas, ela escreveu, ainda, algumas sugestões de cardápio e dicas para a dona de casa que eu estava me tornando. E para arrematar, ela o encapou, recortou uma frase de revista e colocou meu nome embaixo. Mais que conteúdo, o valor subjetivo do caderno é inestimável.

recortes do caderno de receitas


A vida é feita de ondas. Confesso que passei por um longo e tenebroso inverno na minha cozinha. O Equador ficará marcado pelo retorno às panelas e eu nunca senti tanto prazer em cozinhar. O caderno de receitas da minha mãe foi retomado. E isso, de alguma forma, representa um retorno a mim.

8 comentários:

Anônimo disse...

Confesso que fiquei emocionada lembrando do carinha da Lurdinha. Parece brincadeira, mas ainda lembro dela me esperando na varanda com um caderno na mão pra eu terminar meu dever... coisas boas da infância!

Daniela de Paula disse...

Que lembrança linda! Eu me emocionei...

Stella disse...

Que lindo, Dani!
Também quero deixar um desses pros filhos que um dia eu vier a ter...
Ah, e super recomendo aquele bolo natalino que saiu desse caderno!

Daniela de Paula disse...

Oi querida,
Eu também quero deixar para a Janaína. O desafio é escrevê-lo à mão.
beijos,

Débora Almeida disse...

As receitas da Lurdinha trouxeram gosto de família para vários domingos em Porto Velho. Boas lembranças...

Daniela de Paula disse...

É verdade, querida. As vezes, sonho com aquele cozido. um beijo,

Doríssima disse...

Vi o caderno no mural da Fabiana e resolvi fazer uma visita ;)
Que recordação fantástica! E de certeza um valor sentimental inigualável.
Bjs

Daniela de Paula disse...

Obrigada pela visita!